• Said Ali

Turismo de Corrida: Dicas para viajar e correr

Assim como qualquer outro tipo de turismo, prestar atenção em algumas dicas pode fazer você aproveitar melhor a viagem.


O ano é 2021, ainda estamos numa pandemia, mas o dedinho chega a coçar pra comprar aquele pacote de turismo em 10x sem juros, e de quebra, com data coincidente com prova de corrida. Se identificou? Saiba que esse tipo de turismo é uma das melhores coisas da vida!


Entretanto, pra que essa viagem deixe só boas lembranças, é importante ter um bom planejamento ao invés de só se aventurar. A começar pela escolha da corrida que você vai participar, seguido de comunicar a empresa ou seu acompanhante sobre a intenção de ter isso inserido no roteiro. Então, vamos lá:


QUAL PROVA ESCOLHER?


Pode parecer fácil a escolha, afinal, o que importa é conhecer lugares novos certo? Bom, não é bem assim. A maioria das provas médias e pequenas não levam em conta o o público turista. Sendo assim, toda a logística desses eventos é pensada para os atletas locais, causando desconforto em termos de hospedagem, alimentação e deslocamento.


Prefira as provas maiores, com dois mil participantes, no mínimo. Elas possuem uma estrutura maior e mais responsabilidade com os atletas, resultando em mais informações para o público. A reputação da organização deve somar a esse quesito. Se não encontrar facilmente no Google, pergunte em grupos de corrida no Facebook ou Whatsapp se vale a pena.


Não menos importante, a prova deve ter um diferencial. Busque por eventos que tenham uma identidade única, e que as pessoas comentam sobre ela. Ex: Prova que ofereça atrativos musicais, um tipo de alimentação diferenciada, um kit especial, um percurso surpreendente, e por aí vai...


Aqui em Santa Catarina, posso citar três: Night Run Costão do Santinho, Meia Maratona de Pomerode e Rio do Rastro Marathon



A Night Run Costão do Santinho, em Florianópolis, tem show de fogos e um tema diferente a cada edição.


CONTRATAR UMA EMPRESA OU IR POR CONTA PRÓPRIA?


Atualmente, existem empresas especializadas em viagens do tipo. Essas companhias cuidam de tudo, da passagem, hospedagem, inscrição e transfer. Essas são as vantagens, você não precisa se preocupar onde vai ficar, como vai se deslocar, e nem com prazo de inscrição. Claro, tudo isso se for um serviço idôneo! A desvantagem, na minha opinião, é o alto valor que você terá que desembolsar. Já fiz as contas e, a mesma viagem, com os mesmos roteiros, saiu 40% a menos fazendo por conta própria. Veja o que vale mais pena!


Talvez uma prova no exterior seja mais interessante você pensar, de fato, em contratar uma agência. Dentro do Brasil, é muito tranquilo você mesmo montar o roteiro. Se for uma agência de viagens convencional, não esqueça de comunicar a eles que em tal dia e horário, você irá participar da corrida.


CUIDE COM A ALIMENTAÇÃO LOCAL


Seja no Brasil ou fora do país, cada região tem sua própria cultura gastronômica. E a gente sabe que, pro atleta, não é nada interessante comer coisas diferentes no pré prova. É uma delícia conhecer comidas típicas, mas deixe pra fazer isso no pós-prova, ou então dê um intervalo de ao menos 48h entre a refeição e o dia da corrida. Por outro lado, se você conseguir encaixar na sua dieta, vá em frente e aproveite!


A tentação das comidas locais

RESERVE COM ANTECEDÊNCIA E FIQUE PRÓXIMO A LARGADA


Deixar para decidir a hospedagem em cima da hora pode ser um problema. Em eventos grandes, os hotéis próximos a largada são os mais disputados, e ficar em um local mais afastado significa mais ansiedade na noite anterior a corrida, menos horas de sono, e mais custo com deslocamento. Vale comunicar o hotel sobre sua participação na corrida, já que em muitos casos, eles possuem serviço próprio de deslocamento e horários especiais pra acomodar o atleta, como um café da manhã mais cedo.


SE VAI ACOMPANHADO(A), EQUILIBRE OS INTERESSES


Antes de programar, pergunte ao seu parceiro(a) o que ele gostaria de fazer na viagem, e encaixe essas preferências no roteiro. É muito mais gostoso quando os objetivos são equilibrados. Sua companhia deve entender que você terá um ou dois dias diferenciados por conta da preparação e do cansaço, e por outro lado você precisa compreender que também é uma oportunidade única pra essa pessoa conhecer o local e turistar. Conversem e aprendam a ceder. No fim, vocês só terão histórias boas pra contar!


NO EXTERIOR, NÃO ESQUEÇA DO JET LAG


O fuso horário de outros países pode ser um problema se você ignorá-lo. Na Europa, por exemplo, pode ter até 4 horas pra frente do fuso brasileiro. Reserve um dia ao menos pra adaptar seu sono. Isso significa não dormir durante o dia, nem ficar acordado até muito tarde. Do contrário, você pode chegar no dia da prova muito cansado e prejudicar seu desempenho.


Em outro país, o distúrbio chamado Jet Lag pode te prejudicar


APROVEITE O PERCURSO E ESQUEÇA UM POUCO DO RELÓGIO


É claro que cada um tem seu desafio e seu objetivo pessoal na corrida. Mas, não corra como se estivesse em um evento da sua região. Correr em um local diferente é uma oportunidade única de conhecer paisagens, trajetos e torcidas diferentes (sim, isso varia muito de uma região pra outra!). A menos que você esteja buscando índice pra outra prova ou seja um atleta profissional, tire um pouco do foco no relógio, respire, sorria, olhe para todos os lados e aproveite o momento!



Rio do Rastro Marathon, em Santa Catarina, tem um dos percursos mais lindos do mundo


Gostou? Faltou alguma dica pra você? Escreve pra mim: www.instagram.com/colecionadordecorridas


Um abraço!

30 visualizações2 comentários